quinta-feira, 31 de outubro de 2013

RIO DO SUL: ESPORTE CLUBE CONCÓRDIA

O Esporte Clube Concórdia é a mais antiga de Rio do Sul que alcançou projeção no futebol estadual. Fundado em 24 de junho de 1923, sob a denominação de Sport Club Concórdia, adotou bandeira e uniformes nas cores azul e branca.

Desde a fundação, o Concórdia sempre manteve intercâmbio com clubes de outras cidades e de outros Estados. A primeira participação em competição oficial ocorreu em 1943 na Liga Blumenauense de Futebol.

No ano seguinte, o clube torna-se fundador e primeiro campeão da Liga Riossulense de Desportos. O título credencia o Concórdia a participar do campeonato catarinense. A competição era eliminatória, estilo Copa do Brasil (mata-mata). Na estréia, o time riossulense foi vencido pelo Marcílio Dias por 2 a 1. Em Itajaí, nova derrota por 3 a 1.

Em 1967, o clube deu início a construção de uma ampla sede social, recreativa e esportiva. O futebol deixou de ser a principal modalidade.

Campanha no campeonato da LBF em 1944
11/4/1944 - Concórdia 1 x 7 América (atual Guarani de Blumenau)
18/4/1944 - Concórdia 6 x 3 Timboense (atual SRD União de Timbó)
1º/5/1944 - Concórdia 4 x 0 Amazonas (Blumenau)
 9/5/1944 - Concórdia W X O Bandeirantes (Blumenau)
30/5/1944 - Concórdia 2 x 4 Blumenauense (atual Olímpico de Blumenau)
13/6/1944 - Concórdia 1 x 5 Brasil (atual Blumenau EC)
20/5/1944 - Concórdia 2 x 3 Indaial EC
11/7/1944 - Concórdia 3 x 2 Tupi (Gaspar) - perdeu os pontos no TJD
18/7/1944 - Concórdia 1 x 0 América
25/7/1944 - Concórdia 3 x 2 Timboense
29/8/1944 - Concórdia 2 x 2 Indaial (árbitro agredido e jogo inacabado) (*)
(*) - Por ser reincidente no caso de violência em seu estádio, o Concórdia foi eliminado da competição.

terça-feira, 29 de outubro de 2013

ASVI 1938: CIP FUTEBOL CLUBE (ITAJAÍ)

Em 1937, por iniciativa da diretoria do Companhia Itajaiense de Phosphoros Futebol Clube (CIP FC), foi criada em Itajaí a Associação Sportiva Vale do Itajai (ASVI).

Na década de 1940, por força de Lei Federal, a entidade alterou a denominação para Liga Esportiva Vale do Itajaí (LEVI).

Os fundadores e participantes do primeiro campeonato foram Amazonas, Blumenauense e Recreativo Brasil (Blumenau), Brusquense e Paysandu (Brusque), CIP FC, Marcílio Dias e Lauro Muller (Itajaí).

O primeiro campeonato foi realizado em 1938 e teve o CIP como campeão. A conquista garantiu a presença no campeonato estadual, disputado somente no ano seguinte.

A  equipe tinha excelentes atletas e depois de eliminar o favorito Avai, em Florianópolis, decidiu o título contra o Atlético de São Francisco do Sul. A vitória por 2 a 0 garantiu o segundo título estadual de um time itajaiense (o primeiro foi o Lauro Muller em 1931).

A campanha do time itajaiense no estadual:
5/2/1939 - CIP 4 x 0 Avaí (Florianópolis)
5/3/1939 - Avaí 3 x 2 CIP FC
12/3/1939 - Avaí 2 x 3 CIP FC

Decisão
16/4/1939 - CIP FC 2 x 0 Atlético São Francisco

O time base, campeão do Vale do Itajaí e Estadual era Geninho, Lico, Humaitá, Fateco, Humberto, Souto, Vitório, Couceira, Pavan, Nanga e Armando.

Foto: Clube do Entas/Itajaí
- Texto ampliado de artigo publicado no dia 8 de outubro de 2013.

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

TÚNEL DO TEMPO: PELÉ EM TAIÓ

Estádio do União lotado para ver o Santos de Pelé

Pelé jogou poucas vezes em Santa Catarina. O Rei do Futebol esteve em Joinville, Florianópolis, Blumenau e Taió.

No dia 1º de outubro de 1967, o Santos disputou um amistoso contra o combinado Palmeiras/Olíimpico. A cidade de Taió comemorava o Cinquentenário de colonização e Pelé era a atração máxima.

Santos antes da partida contra o Olímpico/Palmeiras

Lesionando, Pelé não pode atuar, mas ajudou a atrai uma multidão ao estádio do União. O Santos venceu por 7 a 1. O time paulista atuou com a seguinte formação: Gilmar (Élcio Mineiro), Carlos Alberto (Turcão), Ramos Delgado, Joel, Rildo, Zito (Negreiros), Clodoaldo, Wilson (Almiro), Coutinho (Silva), Douglas e Edu (Abel).

Os gols santistas foram marcados por Coutinho (2), Edu, Clodoaldo, Douglas, Silva e Wilson. Não conseguimos apurar o autor do gol e a formação do combinado blumenauense.

Fotos: acervo Carlos Tonet e Dinossauros do Indaiá
Fontes: A Tribuna de Santos / Eliana Belo / Patrick Ribeiro

domingo, 27 de outubro de 2013

BLUMENAU: VASTO VERDE, 69 ANOS

Estádio Curt Hering

Fundada em 27 de outubro de 1944, a Sociedade Esportiva Vasto Verde, do bairro Velha em Blumenau, está completando 69 anos de existência. O começo foi simples, como um time de futebol entre amigos da localidade de Ribeirão Branco, hoje Água Verde.
Escudo antigo

No futebol, o Vasto Verde disputou os campeonatos da Liga Blumenauense e o Estadual em 1959. O jogador Quatorze, campeão estadual pelo Olímpico em 1964, é um dos maiores craques da história do clube.

O clube também é destaque em diversas modalidades como tiro, vôlei, basquete, tiro, caratê, bolão skate e bocha. Ana Moser, uma das maiores jogadoras de voleibol mundial, começou a carreira nas quadras do Vasto Verde.

É nessa modalidade que o clube possui um octacampeonato estadual e chegou duas vezes ao vice do Brasileiro.

Escudo atual
O estádio estádio Curt Hering, que no passado sediava jogos da Liga Blumenauense e Estadual, foi restruturado e transformado num grande parque social e esportivo.

Foram fundadores do Vasto Verde:  Paulo Mantau, Alfredo Dumke, Henrique Ohf, Alfonso Buerger, Alvim Mantau, Carlos Muzcka, Edmundo Glau, Fritz Krambeck, Eugênio Mantau, Paulo Leicht, Curt Kloth, Ricardo Zielsdorf, Francisco Liecht. Alfonso Grosch, Albano Schulz, José Suave, Reinoldo Becker, João Krug e Walter Karsten.

Fonte: site do Vasto Verde, blog Adalberto Day (pesquisador e cientista social)

sábado, 26 de outubro de 2013

TÚNEL DO TEMPO: FRIGOR ESPORTE CLUBE

Trecho de vídeo produzido pela Cia Jensen na década de 1960

O Frigor Esporte Clube era o time dos funcionários e colaboradores da Companhia Jensen, com sede em Itoupava Central, em Blumenau. Fundada em 1925 (a empresa é de 1872), a agremiação marcou época no cenário esportivo da região.

A Jensen era uma potência nas décadas de 1950 e 1960 e surgiu como expoente na produção de leite pasteurizado, lacticínios e derivados de carne suína no Vale do Itajaí.

 
Time do Frigor Esporte Clube em 1957

Foi nessa época de ouro que foi produzido um vídeo sobre a companhia. Nele estão incluídas imagens de um jogo entre o time Frigor EC e o Botafogo de Jaraguá do Sul.

Em 1984, a empresa decretou falência. O empresário João Batista Sérgio Murad pleiteou os terrenos que eram da Jensen para a construção de um grande parque.

O intento não foi alcançado e hoje o Parque Beto Carrero World está instalado em Penha-SC.

O Frigor participou de competições promovidas pela Liga Blumenauense, torneios e festivais. O campo de futebol era frequentemente utilizado para treinos pelos times profissionais de Blumenau.


Foto: acervo Alex Katz
Fontes: hhenkels.blogspot.com, Cristina Ferreira, blog Adalberto Day (pesquisador e cientista social)
Vídeo: produção da Cia Jensen

quarta-feira, 23 de outubro de 2013

TÚNEL DO TEMPO: A ESTREIA DE TEIXEIRINHA

O Recreativo Brasil na estreia de Teixeirinha

Nildo Teixeira de Melo, o Teixeirinha, é um dos maiores personagens do futebol catarinense. Um craque que defendeu as cores do CIP, Palmeiras, Carlos Renaux, Seleção de Santa Catarina. Botafogo-RJ, Bangu-RJ e São Paulo-SP. O atleta também atuou como convidado em jogos festivos e amistosos interestaduais por várias equipes do Estado.

Em Blumenau, Teixeirinha defendeu as cores do Palmeiras. A estréia ocorreu no dia 12 de março de 1944, quando o clube ainda chamava-se Recreativo Brasil. O adversário foi o Amazonas, do bairro Garcia. Aliás, vestiu uma única vez a camisa do time com esse nome. Na segunda atuação já era Palmeiras.

O atleta recuperava-se de uma cirurgia da apêndice, mas na ausência do titular Meirelles foi convidado para fazer a estreia na equipe. O Brasil/Palmeiras venceu por  4 a 2, com gols de Aldinho (2), Doquinha e Teixeirinha.

Data: 12/3/1944
Local: Campo das Palmeiras
Árbitro: Arnaldo Silva
Recreativo Brasil - Miguel, Cordeiro, Schramm, Pfau (Batista), Emilio, Pileca, Newton, Augusto, Teixeirinha, Doquinha e Aldinho.
Amazonas - Vinoti, Bóia, Custódio, Borges, Baumer, Tereza, Bessa, Miojo, Augusto, Costinha, Bruda (Boião).
Gols: Augusto (Am) 2/1, Teixeirinha 14/1, Doquinha 41/1, Doquinha 12/2, Augusto (Am) 29/2, Aldinho 39/2.

Fonte: A Cidade de Blumenau / A Nação / O Craque Eterno (Bola Teixeira)
Foto: acervo Bola Teixeira

terça-feira, 22 de outubro de 2013

LBF 1943: BLUMENAUENSE CAMPEÃO

O Campeonato da Liga Blumenauense de 1943 teve nove clubes participantes, seis a mais em relação ao ano anterior.

América Futebol Clube (bairro Itoupava Norte)
Amazonas Esporte Clube (bairro Garcia)
Clube Atlético Tupi (Gaspar) 
Esporte Clube Bandeirantes (Salto Norte - Blumenau)
Sociedade Desportiva Recreativa Timboense (Timbó)
Esporte Clube Concórdia (Rio do Sul)
Esporte Clube Indaial (Indaial)
Recreativo Brasil Esporte Clube (Centro - Blumenau)
Sociedade Desportiva Blumenauense (Centro- Blumenau)

Arthur, Waldir e Arécio (Blumenauense)
TORNEIO INÍCIO
28/3/1943 - Estádio da S.D. Blumenauense

Primeira Fase
América 0 x 1 Indaial
Concórdia 0 x 0 Blumenauense  (0 x 3 escanteiros)
Bandeirantes 1 x 1 Tupi (0 x 1 escanteio)
Recreativo Brasil 0 x 0 Amazonas (2 x 1 escanteios)
Timboense 1 x 0 Indaial

Semifinal
Blumenauense 0 x 0 Tupi (1 x 0 escanteio)
Recreativo Brasil 1 x 2 Timboense

Decisão
Blumenauense 4 x 0 Timboense
Campeão: S.D. Blumenauense

- No torneio inicio de aspirantes (2º quadro) o vencedor foi o Recreativo Brasil.



CAMPEONATO

O primeiro título oficial de campeonato do Grêmio Esportivo Olímpico foi sob a denominação de Sociedade Desportiva Blumenauense em 1943. Não foi uma conquista comum, pois a campanha perfeita com 100% de aproveitamento mostrou quem tinha o melhor time durante toda a temporada.

O time grená venceu os 15 jogos disputados e marcou 77 gols. Na caminhada rumo ao título descarregou uma carrada de goleadas, inclusive um estupendo 11 a 1 sobre o Tupi de Gaspar.

O título veio com três rodadas de antecedência. Uma vitória por 2 a 1 no clássico Bra-Blu, o último confronto de campeonato realizado com os nomes Brasil e Blumenauense. No ano seguinte as duas equipes já atendiam pelos nomes Palmeiras e Olímpico, respectivamente.

Além do título, o Blumenauense foi eleito o time mais querido do Vale do Itajaí em eleição promovida pelo jornal A Cidade de Blumenau, com apoio dos periódicos O Albor, A Notícia, Jornal de Joinville e Correio do Povo.

A surpresa da competição foi o Indaial, que alcançou o vice-campeonato deixando o então bicampeão Recreativo Brasil em terceiro lugar.

O fato negativo ocorreu com o Esporte Clube Concórdia. Os jogos em Rio do Sul com frequência terminavam em confusão e a LBF viu-se obrigada a eliminar o filiado do campeonato.


A campanha do campeão:
1º turno
11/4 - Blumenauense 6 x 1 Bandeirantes
21/4 - Blumenauense 5 x 1 América
 2/5 -  Blumenauense 3 x 2 Indaial - em Indaial
30/5 - Blumenauense 4 x 2 Concórdia - em Rio do Sul
 6/6 -  Blumenauense 7 x 3 Amazonas
20/6 - Blumenauense 11 x 1 Tupi
24/6 - Blumenauense 8 x 1 Timboense
 4/7 - Blumenauense 5 x 1 Recreativo Brasil
2º turno
25/7 - Blumenauense 2 x 0 América
22/8 - Blumenauense 5 x 4 Timboense - em Timbó
12/9 - Blumenauense 4 x 1 Indaial
19/9 - Blumenauense 4 x 0 Bandeirantes
30/10 - Blumenauense 2 x 1 Brasil (jogo do título)
7/10 - Blumenauense 6 x 0 Amazonas
31/10 - Blumenauense 5 x 2 Tupi
- Blumenauense x Concórdia (não realizado)

CLASSIFICAÇÃO
Campeão: Blumenauense
Vice-campeão: Indaial
3º lugar: Recreativo Brasil
4º lugar: América
5º lugar: Tupi (Gaspar)
6º lugar: Amazonas
7º lugar: Timboense
8º lugar: Bandeirantes
Concórdia não obteve classificação pois acabou eliminado pela LBF.

JOGO DO TÍTULO
Data: 3/10/1943
Local: estádio da S.D. Blumenauense (Blumenau)
Árbitro: Benjamim Jorge
Blumenauense - Waldir, Artur, Arécio, Piska, Heine, Generoso, Ico, Willy, Bodinho, Pie e Abreu.
Brasil - Bergo, Pfau, Schramm, Machado, Doquinha, Herbert, Meirelles, Tevo, Pavan, Augusto, Borba.
Gols: Tevo (RB), Bodinho (2) (Blu)

TORNEIO DE ENCERRAMENTO
13/2/1944
Primeira fase
Tupi 4 x 0 Amazonas
Indaial 1 x 1 América ( 2 x 1 escanteios)
Recreativo Brasil WO x Timboense
Semifinal
Blumenauense 2 x 1 Tupi
Indaial 1 x 2 Recreativo Brasil
Decisão
Blumenauense 1 x 0 Recreativo Brasil
Campeão: Blumenauense

Equipes
Blumenauense - Waldir, Artur, Arécio, Piska, Heine, Generoso, Ico, Willy, Bodinho, Pie e Abreu.
Indaial - Ati, Sebastião, Vitor, Baiano, Lula, Ingo, Passold, Waldemiro, Isolani, Artur e Celso.
Brasil - Bergo (Miguel), Pfau, Schramm, Machado, Doquinha, Herbert, Pedrinho (Meirelles), Tevo, Pavan, Augusto, Borba (Fritz).
Tupi - Lola, Egon, Brito, Santos, Rileca, Raul, Udo, Naldo, Vitória, Bubi e Mazinho.
América - Rolando, Walter, Rudi, Muller, Max, Koehler, Muller II, Nelson, Sagui e Amorim (Klitzke).
Amazonas - Tadeu (Nelson), Alfredinho, José, Tiurra (Tereza), Bóia (Vitório), Bruda (Bom Peixe), Bessa, Miojo, Paulinho e Olimpio.
Timboense - Curt, João, Werner, Abraão, Bioão, Severino, Leal, Cardoso (Menezes), Gerhard, Henrique, Djalma.
Bandeirantes - Correa, Rodolfo, Pacheco...
Concórdia - André, Lourival, Lucas, Ern, Irineu, Willy, Pedrinho, Amadeu, Zoni, Francisquinho e Hermínio.

CAMPEONATO DA LBF
ANO CAMPEÃO VICE
1941 Recreativo Brasil Amazonas
1942 Recreativo Brasil Amazonas
1943 Blumenauense Indaial
TORNEIO INÍCIO
ANO CAMPEÃO VICE
1941 Amazonas Blumenauense
1942 Amazonas Recreativo Brasil
1943 Blumenauense Timboense
TORNEIO DE ENCERRAMENTO
ANO CAMPEÃO VICE
1941 Recreativo Brasil Blumenauense
1942 Amazonas Recreativo Brasil
1943 Blumenauense Recreativo Brasil

Fonte: A Cidade de Blumenau, acervo Adalberto Klüser, revista do GE Olimpico.
Foto: acervo GE Olimpico

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

DONA EMMA: ATLÉTICO CAMPEÃO 2013

Atlético campeão municipal 2013
A equipe do Atlético Futebol Clube é o vencedor do 21º campeonato municipal de Dona Emma pela primeira vez.

Na decisão, disputada no estádio Alfredão, o time venceu o Duque de Caxias por 2 a 1 e ficou de posso do troféu João de Souza.

Apesar de ser o vice, o Duque teve o artilheiro (Eduardo Fischer) e o goleiro menos vazado (Daniel). O terceiro lugar ficou com o Estrela D´Alva que aplicou 4 a 2 no Esperança..

O campeonato municipal de 2013 teve sete participantes: Atlético, Duque de Caxias, Estrela D´Alva, Caminho Pinhal, Esperança, Juventus e Palmeirinhas.

CLASSIFICAÇÃO  PRIMEIRA FASE
EQUIPES P J V E D GP GC SG
Duque de Caxias 18 8 6 0 2 21 7 14 
Atlético FC 16 8 5 1 2 14 9 05 
Estrela D´Alva 15 8 5 0 3 20 10 10
Esperança FC 10 8 3 1 4 11 13 -02 
Palmeirinhas FC 7 6 2 1 3 10 13 -3
Juventus 5 6  1 2 3 8 15 -7
Pinhal 1 6  0 1 5 6 25 -19

Semifinal
Estrela D´Alva 2 x 3 Atlético
Duque de Caxias 4 x 3 Esperança

Disputa do terceiro lugar
Estrela D´Alva 4 x 2 Esperança

Decisão
Atlético 2 x 1 Duque de Caxias
Campeão: Atlético

Fonte: Prefeitura de Donna Emma/diárioav
Foto: Cássio Marcilio

domingo, 20 de outubro de 2013

ASCURRA: SETE DE SETEMBRO, 54 ANOS

A fundação do Sete de Setembro nasceu de uma maneira curiosa. Em 1959, a pequena Ascurra ainda era um distrito de Indaial. A principal referência da juventude era o internato dos salesianos, onde muitos escolhiam a vida religiosa como vocação de vida.

Para alcançar a formação de padre, era necessário seguir um padrão de comportamento extremamente rígido. Havia uma boa integração local entre os noviços e os moradores, principalmente pela prática comum do futebol.

Estava indo tudo muito bem, até a chegada de um novo padre diretor, que proibiu os jovens de vestirem calções nos jogos. Era permitido apenas calças compridas.

No dia 6 de setembro, após uma missa, eles reuniram-se nas escadaria da igreja matriz e resolveram não aceitar a imposição do diretor. Mas como fazer, se o campo onde jogavam era dos padres?

A solução foi criar um clube próprio e construir um novo campo. Diversos nomes foram sugeridos, mas nenhum agradou aos fundadores. Então lembraram que no dia seguinte era feriado, dia da Independência do Brasil. Batizaram o time como Sete de Setembro.

Mais tarde foi adotada a denominação oficial de Sociedade Esportiva Recreativa e Cultural Sete de Setembro.

Em 54 anos de existência, o clube cresceu e transformou-se em orgulho do povo ascurrense. No futebol, participou de festivais e campeonatos locais e regionais, inclusive pela Liga Blumenauense de Futebol.

Fonte: facebook Sete de Setembro e jornal Parole

TÚNEL DO TEMPO: ASA BRANCA DE APIÚNA

Asa Branca (Apiúna) campeão dos Municípios em 1983

Na década de 1980, a Liga Blumenauense de Futebol (LBF) organizava anualmente o Torneio dos Municipios. A competição reunia clubes do Vale do Itajaí.

Em, 1982, quando o presidente da LBF era João Alfredo Rebelo, o Asa Branca sagrou-se campeão ao superar na final o União de Ibirama. No ano seguinte, o clube alcançou o bicampeonato e a partida decisiva foi no estádio Walter Bratz, em Apiúna. O time local goleou o Tupi de Gaspar por 4 a 0, gols de Boninha e Pirulito (3).

Os clubes participantes: Asa Branca (Apiúna), XV de Outubro (Indaial), Tupi (Gaspar), União (Ibirama), Canto do Rio (Blumenau), Gasparense (Gaspar), Floresta (Pomerode), Cometa (Rodeio), Germer (Timbó), Sete de Setembro (Ascurra).

Foto: Jandyr Nascimento

sábado, 19 de outubro de 2013

AGRONÔMICA: AMÉRICA, 75 ANOS

Fundado em 1938, o América Futebol Clube da comunidade de Valada Gropp, no município de Agronômica, é uma das mais antigas agremiações esportivo da região.

No último dia 15 de setembro foi realizado um jogo festivo em comemoração aos 75 anos de existência do clube rubro. O time da Câmara de Vereadores de Agronômica enfrentou a Câmara de Vereadores de Trombudo Central. Os visitantes venceram por 4 a 0.

O América disputa anualmente o campeonato de Agronômica. Os jogos são disputados no estádio municipal. Outros existentes no município: Asa Branca EC, Cruzeiro, Internacional, Granja Gallus, Los Hermanos, Planalto Areado e Master Agronômica.

Misto de vereadores e atletas do América FC

Foto: Câmara de Vereadores de Agronômica

quinta-feira, 17 de outubro de 2013

BLUMENAU: CANTO DO RIO, 54 ANOS

O Canto do Rio Futebol Clube, do bairro Progresso, em Blumenau, surgiu no dia 10 de outubro de 1959. Entre os fundadores estavam Clement Heiden (primeiro presidente), Antônio Sestrem, Altumar Labes, Germano Schmitt, Heinz Gool, Gustavo Gool e membros da família Hort. 

O clube teve origem após o fim das atividades do time Progresso. Alguns remanescentes tentaram retornar com a equipe, mas devido algumas pendências junto à Liga Blumenauense, resolveram criar um novo clube com o objetivo de disputar a Segunda Divisão da LBF.

Na escolha do nome do time havia duas opções: Volta Redonda e Canto do Rio, devido a topografia local. O vencedor foi Canto do Rio Futebol Clube.

Canto do Rio em 2012

As principais conquistas no futebol ocorreram em 1981 (invicto) e 1991, quando obteve o título de campeão da Liga Blumenauense. A sede social do clube conta com salões de festas, cancha de bocha e o estádio Edmundo Hort, que frequentemente é atingido pelas constantes enchentes no Vale do Itajaí.

Canto do Rio na década de 1960
Em pé: Luiz, Lavinho, Otivio, Cidinho, João, Edmundo Loos e Zé Silvino
Agachados: Piava, Ico Hort, Alexandre, Odilon e Nelinho.

Fotos: facebook Canto do Rio, acervo Adalberto Day (cientista social e pesquisador)

segunda-feira, 14 de outubro de 2013

INDAIAL: XV DE OUTUBRO, 61 ANOS

XV: campeão catarinense da Terceira Divisão em 2009

Fundada em 15 de outubro de 1952, a Sociedade Desportiva XV de Outubro está completando 61 anos de existência. Grandes nomes do futebol foram revelados pelo rubro-anil de Indaial, o principal deles é Leandro Damião, atualmente no Internacional-RS e Seleção Brasileira.

A criação do XV foi numa reunião realizada no Bar Petters com a presença aproximada de 30 pessoas. O estádio das Cerejeiras antecedeu ao atual Gigante do Vale (Erwin Blaese).

XV: campeão da Liga Blumenauense em 1987

O ano de ouro foi 2009, quando conquistou o título da Liga Blumenauense  e do campeonato catarinense profissional da Divisão de Acesso (Terceirona) em 2009. A torcida também guarda com carinho a lembrando primeiro lugar do campeonato da LBF de 1987.

Na campanha vitoriosa de 2009, o XV disputou 14 jogos. Obteve nove vitórias, três empates e apenas duas derrotas. O ataque marcou 31 gols e a defesa sofreu oito.

Antigo estádio das Cerejeiras

Antiga formação do XV de Outubro

Fotos: divulgação XV de Outubro, Antigamente em Indaial, Luis Fernando Evaristo


domingo, 13 de outubro de 2013

TÚNEL DO TEMPO: UNIÃO DE TIMBÓ

A Sociedade Desportiva União foi fundada em 14 de março de 1942 sob a denominação de Sociedade Recreativa Timboense.  A troca de nome ocorreu em 1944 por força de Lei Federal, que proibiu a utilização de nomes ou gentílicos por clubes e associações esportivas de cidades, estados e países.

O União é um dos mais tradicionais clubes do Vale do Itajaí. A estréia em campeonatos ocorreu em 1943 quando disputou o campeonato da Liga Blumenauense (LBF).

Uma das melhores formações do clube foi na década de 1960, quando conquistou o tricampeonato da LBF (1965, 1966 e 1967) e aventurou-se no campeonato estadual de 1966.

Creca de quarenta anos mais tarde, o time timboense retornaria ao futebol profissional fazendo boas campanhas da Segunda Divisão culminando com o acesso à Primeira Divisão em 2005, onde veio a perder os dez jogos disputados.

O clube revelou muitos jogadores que ficaram inseridos na história do futebol catarinense. Um deles é o zagueiro Nelson Weege, que teve passagem por Palmeiras de Blumenau e Figueirense de Florianópolis.

União com a Taça Fritz Kuenrich em 1967

Em pé: Tutti Krueger, Daqui, Urabatão, Nelson Weege, Nilson Cantareira, Fernando e China.
Agachados: Antônios Carlos, Valdir Harbs, Brancher, Zeca Matedi, Luiz Carlos e o massagista Tuta.

Foto: acervo Ana Paula Weege

sábado, 12 de outubro de 2013

TÚNEL DO TEMPO: ESTÁDIO DO GUARANI

Estádio do Guarani em Itoupava Norte

Em 1944, o Guarani Esporte Clube inaugurou a sua praça esportiva no bairro Itoupava Norte. A construção foi possível graças aos esforços de pessoas como Reinaldo Pfau, Arnoldo Haertel, Walter Staedele, Erico Hartel, Helmuth Schoenau, Arthur Schley e Guilherme Haettel.

O estádio era cercado com tábuas de 2,50m de altura e possuia um corrimão de madeira em volta do gramado. Havia uma pequena casa para o bar e dois vestiários para troca de roupa dos atletas. Ainda na década de 1940, foi construída uma casa de 9m x 4m para abrigar o zelador do campo.

A inauguração ocorreu no dia 9 de abril. Alguns clubes convidados não compareceram e o torneio festivo que constava da programação teve apenas três equipes: Aimoré (ex-Amazonas), Guarani (ex-América) e São Lourenço de Pomerode.

Nas décadas de 1950 e 1960, o estádio recebeu melhorias, arquibancadas, cabines de imprensa, sede social e iluminação para jogos noturnos.

PROGRAMAÇÃO DE INAUGURAÇÃO

Amistoso - jogo de 2º quadros (aspirantes)
Guarani 3 x 2 Aimoré (ex-Amazonas)

Torneio de Futebol
Aimoré 2 x 1 São Lourenço (Pomerode)
Decisão
Guarani 2 x 1 Aimoré
Campeão: Guarani

JOGO DO TÍTULO

Data: 9/4/1944
Local: estádio do Guarani (Blumenau)
Motivo: Amistoso - Torneio de Inauguração
Árbitro: Arnoldo Silva
Guarani - Magro, Staedele, Schramm, Sagui, Max, Nelson, Lazita, Lucio, Cirilo, Correa e Klitzke.
Aimoré - Voniti, Bóia,Alfredinho, Borges, Baumer, Boião, José, Miojo, Augusto, Teio e Paulino.
Gols: Klitzke, Correa (G), Augusto (A)

Foto: acervo Adalberto Day, historiador e cientista  social

BLUMENAU: SERRINHA, 65 ANOS DE FUTEBOL

Sede do Serrinha em Vila Itoupava

A Sociedade Recreativa Desportiva Serrinha, de Vila Itoupava, em Blumenau, surgiu em 10 de outubro de 1948 da fusão entre as Sociedades Harmonia e Cruzeiro do Sul. O clube está completando 65 anos de história futebolística.

Antes de ingressar no futebol, o Serrinha existia como clube de tiro, sendo a sexta sociedade mais antiga de Blumenau.

Em 1954, a S.R.D. Serrinha filiou-se na Liga Blumenauende de Futebol (LBF). O primeiro uniforme registrado era composto por camisas com listras verticais azul, branco e amarelo. Os calções eram pretos.

Serrinha e Hamburgo em 1984
O primeiro título da LBF ocorreu em 1974, quando sagrou-se campeão da Segunda Divisão. A decisão foi diante do Nova Aurora.

Repetiu o feito em 1980, quando saiu vencedor na decisão contra o Cometa de Rodeio. O terceiro título da Segundona foi em 1993 com o triunfo sobre o Horizonte, do Garcia (Blumenau).

No dia 17 de julho de 1977, o Serrinha realizou um jogo internacional contra o S.C. Grünn Weiss 1920 da Alemanha. Os visitantes venceram por 6 a 2.

Nas comemorações de 36 anos do clube ocorreu uma agradável surpresa. O Serrinha jogou amistosamente no dia 7 de outubro de 1984 contra o time senior do Hamburgo, da Alemanha. O adversário tinha atletas que haviam atuado na seleção alemã nos anos 60 e 70 e era o favorito. Mais de três mil pessoas assistiram a vitória do Serrinha por 3 a 2.

Futebol, bolão, tiro, skate e punhobol são modalidades que estão inseridas na vitoriosa história do Serrinha.

Data: 7/10/1984
Local: S.R.D. Serrinha - Vila Itoupava (Blumenau)
Árbitro: Celso Bozzano
Público: 3000
Serrinha - Zé Roberto, Rubens, Haroldo, Aldo, Ditmar, Almir, Walmir, Manga, Tato, Gilmar e Ismar.
Hamburgo - Schotsmann, Hofker, Sandmann, Hunkel, Blankenburg, Wack, Bahere, Kurblunh, Rabe, Foks e Dorfel.
Gols: Gilmar (2) e Almir (S), Dorfel (2) (H)
- Substituições não encontradas

Fonte/fotos: site clubes de Caça e Tiro de Blumenau, JSC, Dane Blu

sexta-feira, 11 de outubro de 2013

TÚNEL DO TEMPO: PRIMEIRA VEZ EM CURITIBA

Sede do Savóia FC de Curitiba em 1941
A primeira vez que um clube de Blumenau jogou em Paraná foi em 1941. O Recreativo Brasil, então campeão da Liga Blumenauense, excursionou até Curitiba onde enfrentou o Savóia e o Britânia, agremiações que depois de sucessivas fusões originaram o Paraná Clube.

Na estréia, o representante de Blumenau fez bonito e arrancou um empate por 3 a 3 no estádio Belford Duarte. No dia seguinte, o Britânia foi o oponente do "periquito", mas o placar não foi encontrado.

A delegação viajou em ônibus especial sendo composta por 14 atletas e ainda com a presença de Emilio Sada (chefe da delegação), Luiz Stotz (presidente), Antônio Bertoli (tesoureiro) e Artur Laux (técnico).

Data: 7/12/1941
Local: estádio Belford Duarte (Curitiba-PR)
Árbitro: Valentim do Amaral
Recreativo Brasil - Miguel, Pfau (Arécio), Schramm, Machado, Doquinha, Tiurra, Amorim, Janga (Meirelles), Hélio, Augusto e Correa.
Savóia - Laio, Rodolf, Yeyê, Mário (Servilio), Ivo, Barros, Turim (Mendes), Pinto, Belico, Ivan e Dudu.
Gols: Ivan (S), Hélio (RB), Dudu (S), Arécio (contra-S), Augusto (RB) e Helio (RB).

Fonte: A cidade de Blumenau, Correio do Paraná, pesquisador James Skroch.
Foto: blog História do Paraná Clube

LBF 1942: RECREATIVO BRASIL BICAMPEÃO

Augusto (Brasil)
Apenas três equipes participaram do segundo campeonato da Liga Blumenauense de Futebol em 1942. O Victória não se inscreveu e o 21 de Abril (Gaspar) foi desfiliado.

Amazonas Esporte Clube (Garcia - Blumenau)
Recreativo Brasil Esporte Clube (Centro - Blumenau)
Sociedade Desportiva Blumenauense (Centro - Blumenau)

TORNEIO INÍCIO
O Amazonas do Garcia conquistou o bicampeonato do torneio realizado no dia 22 de março no campo da Baixada (S.D. Blumenauense).
Por sorteio, o Brasil garantiu presença da final.

Fase preliminar
Amazonas 1 x 0 Blumenauense
Final
Brasil 0 x 1 Amazonas
Campeão: Amazonas EC

CAMPEONATO

A fórmula de disputa foi simples: os três clubes jogaram entre si em três turnos. O Recreativo Brasil uma campanha invicta e mais uma vez foi campeão por antecipação. Mais uma vez, o Amazonas foi o principal oponente do time "periquito" e alcançou o vice pelo segundo ano consecutivo.

O Blumenauense não fez uma boa temporada e terminou em último lugar. O grande acontecimento do ano para o clube grená foi a inauguração (dia 15 de agosto) das quadras de basquete e voleibol dotadas de iluminação para jogos noturnos.

Os jogos ocorreram em dois estádios: Garcia (Amazonas) e da Alameda Rio Branco (Blumenauense). O campo do Recreativo Brasil não oferecia condições para partidas oficiais. Foram marcados 40 gols em nove jogos. Abreu e Augusto (foto), do Brasil, foram os artilheiros com quatro gols cada.

CAMPANHA DO BRASIL
1º turno
 5/4  - Recreativo Brasil 3 x 3 Blumenauense
12/4 - Recreativo Brasil 6 x 0 Amazonas
2º turno
 3/5  - Recreativo Brasil 5 x 0 Blumenauense
17/5 - Recreativo Brasil 3 x 1 Amazonas
3º turno
 7/6  - Recreativo Brasil 2 x 2 Blumenauense
28/6 - Recreativo Brasil 1 x 1 Amazonas

CLASSIFICAÇÃO PG J V E D GP GC
Recreativo Brasil 9 6 3 3 0 20 7
Amazonas 5 6 2 1 3 8 17
Blumenauense 4 6 1 2 3 12 16

Artilheiros
4 gols - Abreu e Augusto (Recreativo Brasil)
3 gols - Janga, Girão (Brasil) e Xarope (Blumenauense)
2 gols - Ico, Meirelles (Blumenauense), Laranja (Amazonas), Isolani (Recreativo Brasil)
1 gol  -  Luizinho, Doquinha, Schramm, Carreiro (R. Brasil), Polaco, Arécio, Amorim, Heine, Anjos (Blumenauense), Olímpico, Nena, Bóia, Bruda, Alfredinho (Amazonas)
1 gol contra - Arécio (Blumenauense)

JOGO DO TÍTULO







Data: 6/7/1942
Local: estádio da Alameda Rio Branco (Blumenau)
Árbitro: Oswaldo Fortunado de Bem
Brasil - Miguel, Pfau, Schramm, Machado, Doquinha, Borba, Carreiro, Janga, Isolani, Augusto, Girão.
Blumenauense - Fanfa, Artur, Arécio, Heine, Xarope, Anjos, Meirelles, Amorim, Ico, Polaco, Generoso,
Gols: Girão (2-RB), Xarope (2-Blu)

TORNEIO DE ENCERRAMENTO
12/julho/1942
Blumenauense 1 x 3 Amazonas
Final
Amazonas 1 x 0 Recreativo Brasil
Campeão: Amazonas

Equipes no campeonato:
Recreativo Brasil - Miguel (Juca), Pfau, Schramm (Tiurra), Machado (Carreiro), Doquinha (Luizinho), Abreu (Borba), Janga, Isolani, Girão.
Amazonas - Valdir, Pera, Longo, Osvaldo, Bóia, Miltom, Miojo, Olimpico, Alfredinho, João e Bruda.
Blumenauense - Fanfa, Artur, Arécio, Heine (Piska), Xarope, Anjos, Meirelles, Amorim, Ico (Farias), Polaco (Luis), Generoso.

CAMPEONATO DA LBF
ANO CAMPEÃO VICE
1941 Recreativo Brasil Amazonas
1942 Recreativo Brasil Amazonas
TORNEIO INÍCIO
ANO CAMPEÃO VICE
1941 Amazonas Blumenauense
1942 Amazonas Recreativo Brasil
TORNEIO DE ENCERRAMENTO
ANO CAMPEÃO VICE
1941 Recreativo Brasil Blumenauense
1942 Amazonas Recreativo Brasil

Fonte: A Cidade de Blumenau, A Nação, O Estado, A Gazeta.
Foto: acervo Arno Correa

- O conteúdo deste artigo integra o livro "Almanaque do Futebol de Blumenau e Vale do Itajaí". Não pode ser reproduzido sem autorização prévia, por escrito, do autor.

quinta-feira, 10 de outubro de 2013

BRUSQUE: CLUBES, PERSONAGENS E TÍTULOS

Clássico Paysandu x Carlos Renaux

O futebol de Brusque é conhecido pelos seus três principais clubes: Carlos Renaux, Paysandu e Brusque. Mas dezenas de outros clubes ajudaram de alguma maneira a construir uma rica história no futebol brusquense.

Não é possível contar a história de todos, mas registramos alguns que conseguimos resgatar pelo menos a data de fundação e alguns personagens.

Clube Atlético Carlos Renaux - Fundado em 14 de setembro de 1913. Campeão catarinense em 1950 e 1953. Campeão do Vale do Itajaí em 1941, 1942, 1945; da Liga Blumeneuense em 1950, 1952, 1953, 1954 e 1958. Proprietário do estádio Augusto Bauer é o primeiro clube de Santa Catarina a completar 100 anos de existência.

Clube Esportivo Paysandu - Fundado em 18 de dezembro de 1918. Campeão catarinense da Divisão Especial em 1956 e da Segunda Divisão em 1986. Possui o estádio Cônsul Carlos Renaux. Campeão da LIga Brusquense em 1959.

Brusque: campeão catarinense em 1992
Brusque Futebol Clube - Fundado em 12 de outubro de 1987, fruto da fusão do departamento de futebol profissional do Paysandu e Carlos Renaux. Campeão catarinense em 1992 e da Copa Santa Catarina em 1992, 2008 e 2010; da Segunda Divisão em 1997 e da Recopa Sul-Brasileira em 2008.

Sport Club Peterstrasse (Estrada de São Pedro)
Fundado em 1915, o clube tinha seu campo na confluência das estradas que seguem para Guabiruba, Alsácia e Lorena. Foi um dos primeiros adversários do Carlos Renaux, na época S.C. Brusquense.

Esporte Clube Cedrense - Fundado em 4/12/1928 em Cedro Baixo. Valentim Heil, Pedro Betchtold e João Knihs foram seus primeiros diretores.

Rio Branco Esporte Clube - Fundado em 15 de junho de 1939. O primeiro presidente foi Antônio Schlindwein e João dos Santos o capitão da equipe.

Em pé: GottfriedNaldo, João Zimmermann, Luiz Zimmermann, Pedro Hörner, 
Paulo Imhof (de chapéu), EwaldoImhof, Antonio Roisera, Nicolau Huber, 
José Angioletti  e Ivo ImhofAgachado: José Imhof 

Clube Esportivo Ypiranga  (foto) - Fundado em 5 de agosto de 1935. Entres seus primeiros diretores estavam Lauro Zimmermann, Paulo Imhof, Vicente Fischer, Jacob Huber, Fernando Fischer e José Imhof. O clube revelou craques como Julinho (Júlio Hildebrand) e Oly Rodrigues, que conseguiraram ser campeões estaduais.

Independente Esporte Clube - Fundado em 10 de março de 1946. Entre seus fundadores estavam: Cyro Gevaerd (presidente honorário), Arno Carlos Gracher, Waldir Borba, Carlos Acyr Pruner, Edgar Deichmann, Antônio Heil.

Clube Esportivo Guarani - Fundado em 14 de outubro de 1934. O dos primeiros clubes a ingressar da Liga Desportiva Brusquense em 1959. O clube surgiu com a finalidade de proporcionar reuniões de caráter social, cultural, artístico, cívico e prática de esportes, preferencialmente o futebol.

Clube Esportivo Operário - Fundado em 10 de setembro de 1939. Angelo Modesti foi o primeiro presidente.

Clube Esportivo Limoeirense - Fundado em 1º de junho de 1940, tendo Antônio José Laurentino como primeiro presidente.

Clube Esportivo Brasil - Fundado em 1º de dezembro de 1941 no salão Ervino Hasse, na comunidade de Limeira.

Esporte Clube União - Fundado em 10 de janeiro de 1944 em Limeira. Oscar Westarb foi o prim
eiro presidente.

Clube Esportivo São Pedro - Fundado em 29 de junho de 1949 e tinha sede na rua São Pedro. O primeiro presidente foi Reinoldo Hoerner.

Sociedade Recreativa 14 de Junho - Fundado em 14 de junho de 1959 em Bateas. Fundado inicialmente como um clube de bochas e mais tarde ingressou no futebol.

América Futebol Clube - Fundado em 8 de novembro de 1953. O clube manda os jogos no estádio Maria Steffen.

Foto: acervos da familia Imhof, Carlos Renaux e revista Placar

quarta-feira, 9 de outubro de 2013

TÚNEL DO TEMPO: F.C. BOM RETIRO - BLUMENAU

O Futebol Clube Bom Retiro, fundado em 18 de outubro de 1926,  foi o clube do bairro homônimo em Blumenau. As cores da bandeira e uniforme eram preta e branca.

O alvinegro foi o segundo time blumenauense no campeonato catarinense, em 1932. Naquele ano, quatro equipes participaram da competição no sistema eliminatório (mata-mata). No campo da Sociedade Ginástica, em Blumenau, o Brasil venceu o Bom Retiro por 6 a 3.

No outro confronto, o Figueirense venceu o Brasil de Tijucas por 4 a 1. Na decisão, o time de Florianópolis sagrou-se campeão ao vencer o Brasil de Blumenau por 7 a 3.

Naquele ano, a diretoria do Bom Retiro era composta por:
Presidente: José Baum
Vice-presidente: João Hahn
1º Secretário: Francisco Klitzke Jor
2º Secretário: Paul Fritzshe
1º Tesoureiro: Theodoro Darius
2º Tesoureiro: Walter Seelbach

O clube inscreveu 16 atletas para para o campeonato catarinense de 1932, entre eles, Nilo Silva (Tigi), que mais tarde tornou-se um conhecido árbitro da Liga Blumenauense.
Nilo Silva
Arnaldo da Silva Porto
Herbert Otto
Helmuth Fischer
Paulo Fischer
Walter Seelbach
Ricardo Fischer
Afonso Balsini (Posto de Saúde da Velha Central tem o seu nome)
Lauro Gracher
Theodoro Rodrigues
Bento Silva
Walter Deggau
Alfredo Creus
Walter Eisenhut
Theodoro Spitzer
Adolfo Pellath

Fonte: acervo Osny Meira a ofício FC Bom Retiro/1932

terça-feira, 8 de outubro de 2013

LBF 1941: RECREATIVO BRASIL CAMPEÃO


Cinco equipes participaram do primeiro campeonato promovido pela Liga Blumenauense de Futebol em 1941. 

Amazonas Esporte Clube (Garcia/Blumenau)
Sociedade Desportiva Blumenauense - GE Olímpico (Centro)
Recreativo Brasil Esporte Clube - Palmeiras EC /Blumenau EC (Centro)
Sociedade Desportiva 21 de Abril (Gaspar)
Victória Futebol Clube (Velha - Blumenau)

TORNEIO INÍCIO
O Amazonas foi o primeiro campeão oficial de Blumenau. O time do Garcia venceu o Torneio Início no dia 20 de abril. 
Fase preliminar
Recreativo Brasil 1 x 0 21 de Abril
Semifinal
Blumenauense 3 x 0 Victória
Amazonas 2 x 1 Recreativo Brasil
Final
Amazonas 2 x 0 Blumenauense
Árbitros que atuaram no torneio: Nilo Silva, João Carvalho e Manoel Pereira Junior

CAMPEONATO

Durante toda a competição o Recreativo Brasil apresentou melhor desempenho e não encontrou muita dificuldade para ser campeão. A festa do título ocorreu no dia 20 de julho com uma vitória de 2 a 0 sobre o Amazonas, no campo do bairro Garcia. Os dois gols foram marcados por Augusto.

O primeiro campeonato teve um protagonista famoso. Na partida do turno entre Brasil e Amazonas, o árbitro foi Arthur Friedenreich, que estava em visita ao estado de Santa Catarina e aceitou convite para apitar. 

O fato negativo na competição foi a desfiliação do 21 de Abril, de Gaspar, por deixar de cumprir obrigações determinadas pela Liga. O último jogo da equipe foi a derrota por 7 a 0 para o Blumenauense no dia 15 de junho.

A rivalidade entre Brasil e Blumenauense não terminou bem. Os dois fecharam a tabela de jogos do campeonato e, mesmo com o título definido, a violência imperou no gramado. Dois atletas "brasileiros" foram parar no hospital: Janga e Mário. 

Campanha do Brasil
Turno
24/4 - Recreativo Brasil 6 x 2 21 de Abril
11/5 - Recreativo Brasil 4 x 1 Victória
1º/6 - Recreativo Brasil 1 x 1 Amazonas
22/6 - Recreativo Brasil 7 x 1 Blumenauense
Returno
 6/7 - Recreativo Brasil x Victória (não encontrado)
24/7 - Recreativo Brasil 2 x 0 Amazonas
10/8 - Recreativo Brasil 3 x 4 Blumenauense

Jogo do título

Data: 24/7/1941
Local: estádio do Garcia (Blumenau)
Árbitro: Alberto Moritz
Recreativo BrasilJuca, Pfau, Schramm, Machado (Girão), Doquinha, Borba, Mário, Augusto, Janga, Carreiro e Correa.
Amazonas Fanfa, Pera, Miojo, Vitório, Bóia, Sina, Tute, Alfredinho, Nena, Leopoldo, Olimpio.
Gols: Augusto (2)

No campeonato de Aspirantes (2º quadro) o título ficou com a S.D. Blumenauense.

TORNEIO DE ENCERRAMENTO
31/agosto/1941
Blumenauense 1 x 0 Amazonas
Recreativo Brasil 4 x 0 Victória
Final
Blumenauense 0 x 1 Recreativo Brasil
Campeão: Recreativo Brasil

Equipes no campeonato:
Brasil - Miguel (Juca), Pfau, Schramm (Machado), Cardoso (Girão), Doquinha (Girão), Borba, Mário, Augusto, Janga e Arno Correa.
Blumenauense - Ferreiro, Artur, Arécio, Oswaldo, Longo, Miltom, Willy, Heine, Meireles, Generoso e Xarope.
Amazonas - Fanfa, Pera, Miojo, Bruda (Vitório), Sina, Bóia, Tute, Alfredinho, Nena, Leopoldo, Olimpio.
Victória - Mazo, Guitz, Paulo Fisher, Montebelli (demais atletas não encontrados)
21 de Abril - não encontradol

Foto: acervo Arno Correa
Fontes: A CIdade de Blumenau e a Nação

- O conteúdo deste artigo integra o livro "Almanaque do Futebol de Blumenau e Vale do Itajaí". Não pode ser reproduzido sem autorização prévia, por escrito, do autor.

FUNDAÇÃO DA LIGA BLUMENAUENSE

O Capitão e futuro General do Exercito Newton Machado Vieira (foto) liderou o processo de criação da Liga Blumenauense de Desportos.

A primeira reunião ocorreu no dia 13 de agosto de 1940, na sede da Sociedade Ginástica, com a presença de Alfredo Campos, Benjamin Margarida, Manoel Pereira Junior e Willy Pawolsky.

Mais dois encontros, realizados nos dias 20 e 30 de agosto, definiram as bases da nova entidade. Os Estatutos foram aprovados em assembléia geral no dia 12 de janeiro de 1941, um domingo. Para o cargo de presidente foi eleito Alfredo Campos.

A Liga começou mostrando serviço. Já na primeira semana de atividade fez um jogo preparatório no estádio da Alameda Rio Branco. O objetivo era escolher atletas para compor uma equipe que disputaria dois jogos contra a seleção da Associação Catarinense de Desportos (ACD), de Joinville.

BRANCO 11 X 1 AZUL
Data: 19/janeiro/1941
Estádio: Baixada da Alameda Rio Branco
Branco: Margarida (Miguel), Arécio e Pfau; Fischer, Boia e Borba; Janga, Heine, Willy, Felipinho e Xarope.
Azul: Miguel (Margarida), Arthur e Diegoli; Mário, Arnoldo e Longo; Carreiro, Janguinho, Marcolino, Generoso e Girão.
Gols: Janga (4), Willy (4), Felipinho (2), Boia (B) e Carreiro (A)

A Taça Copeba foi oferecida pela Companhia Petrolífera Copeba S/A ao vencedor do duelo. O objetivo era estreitar o laço entre as duas entidades. Mas o desfecho não foi o esperado.

O estádio Ernesto Schlemm Sobrinho em Joinville sediou o primeiro jogo no dia 2 de fevereiro. Vitória fácil da ACD por 9 a 1. A viagem de retorno não foi nada fácil para os blumenauenses. Não saia da mente dos atletas devolver a derrota.

O selecionado da ACD chegou a Blumenau de queixo erguido e disposto a levar a taça para Joinville.  Mas não esperavam um adversário tão decidido a vencer a partida. A facilidade encontrada no primeiro confronto havia desaparecido. Os blumenauenses venceram por 3 a 0 e forçaram um novo jogo.

Mas o desempate quase não saiu. Os joinvillenses retornaram para casa reclamando da “violência” da torcida. A terceira partida foi realizada somente um mês depois, dia 9 de março, em Blumenau.

O árbitro Alberto Moritz, de Florianópolis, teve muito trabalho para apitar. Houve muita confusão e o selecionado da ACD abandonou o campo quando placar estava em 1 a 1.

O representante da Copeba, Victor Hugo Baumgarten, resolveu entregar a Taça para a seleção de Blumenau para atender a “moral e disciplina” dos locais.


O próximo passo da Liga Blumenauense foi realizar o primeiro campeonato oficial. 

Foto: Esefex